Star Wars: O lado negro da força

Sim, existe um lado negro da Força. Nesta semana eu conclui pela primeira vez a sequência dos seis primeiros filmes de Star Wars. Então, como já se pode notar, eu não sou nenhum nerd apaixonado pela saga, não fui Comic-Con. Me julguem se quiser, nunca abri as portas de shopping “usando a Força”. Nada contra, ok?

Ao assistir aos filmes, muito bons, por sinal, o que me chamou a atenção foi o “nascimento” de Darth Vader. Bem, nesse momento acho importante alertar você, caso ainda não assistiu os filmes, vou dar spoiler. Se você não se importar, siga em frente na leitura.

Darth Vader era só um jovem aprendiz de Jedi quando foi alertado sobre o poder do lado negro da Força e as precauções que ele deveria tomar para não ser levado para o mal. Entretanto, o menino Skywalker passou por muitas dores e perdas, fruto da maldade presente nos corações egoístas e gananciosos dos “homens”. Aos poucos ele foi tomando decisões que não condiziam com sua “fé”. E, anos depois, ao se deparar com possibilidade de sofrer mais uma perda, seu coração foi cegado pelo medo, fazendo com se entregasse de vez ao lado negro.

Nasce, então, um dos piores inimigos dos Jedi e da Galáxia, alguém que usaria todas as suas forças para destruir o que um dia amou e defendeu.

Deparar-se com os frutos da maldade no mundo fazia com seu coração inflamasse, a dor lhe consumia a alma e inúmeros desejos sombrios cercavam sua mente. Um Jedi precisava aprender a lidar com todas essas situações e emoções – passadas, presentes e futuras – para permanecer no caminho da luz e da verdade.

Assim, por não ser capaz de lidar com a ira, a dor, o senso de injustiça e de caos que tomavam seu coração, um jovem treinado para ser um guerreiro protetor da justiça e da paz, agir com altruísmo, retidão e lutar contra seus instintos egoístas a fim de proteger a galáxia das forças do mal, abandona tudo o que acreditava e defendia para se tornar o protagonista do “lado negro da Força”, um dos inimigos mais temidos e terríveis de toda a galáxia. De Jedi a infanticida, justiceiro, carrasco e ditador.

O lado negro da Força também está dentro de nós, o “velho homem”, tentando nos dominar e nos fazer acreditar que a nossa justiça é superior à de todas as pessoas que nos decepcionaram. Nosso coração é enganoso e corrupto (Jr 19.7). Isso não significa que ele é facilmente enganado, antes, significa que ele próprio nos engana. Nosso coração ativamente tenta nos conduzir para o mal, nos convencendo de que as trevas são, na verdade, luz. Ah, e como o lado negro da Força é poderoso! “O lado negro mancha tudo. Impossível de ver o futuro é”.

Posso pensar em muitos cristãos decepcionados com a igreja, que foram machucados pelas injustiças e desmandos de um “sistema” corrompido. Pecados que não são tratados com o mesmo rigor que outros; escândalos denominacionais; incoerência na vida dos líderes; acepção de pessoas, interesses gananciosos, etc.

Os líderes, por sua vez, de modo semelhante, também encontram injustiça e sofrimento. Estou no ministério pastoral há apenas três anos e já consegui juntar algumas histórias que deixaram suas cicatrizes. Sempre há casos de ingratidão, de desrespeito, de traição de confiança, maledicência, e por aí vai.

Agora, sabe o que todas essas situações têm em comum? Elas dão oportunidade para que a dor, o ódio e a amargura brotem em nossos corações e frutifiquem, fazendo com que passemos a enxergar a vida cristã com outros olhos. Dão espaço para que o lado negro da Força nos domine. Como evitar isso? Como lutar contra a Força que existe em nosso interior, que nos engana e nos faz ir contra aquilo que um dia amamos e cremos?

 

1. Reconheça que seu coração é desesperadamente corrupto e inclinado ao mal

Temos a tendência de nos julgarmos melhores do que aqueles que nos feriram ou decepcionaram. Condenamos cada um com “argumentos bíblicos”, os desprezamos em nossa alma e nutrimos desejos vingativos (não de confrontação bíblica, perdão e reconciliação). Precisamos lembrar que somos tão imerecedores da graça de Deus quanto qualquer outra pessoa; e que se não for pela graça de Deus jamais conseguiremos fazer qualquer coisa de bom (1Co 15.10).
Quando nossa mente e desejos forem moldados pela Palavra, e não por nosso coração, a dor não será diminuída, mas os frutos serão norteados por humildade e amor, visando a glória de Deus – e não a satisfação de meu pecado.

 

2. Creia que o projeto de Deus é o melhor

A igreja foi planejada por Deus. A vida em comunidade é essencial para o amadurecimento cristão (cf. Ef 4.1-16). Nos momentos de dor o nosso coração nos faz olhar apenas para os aspectos pecaminosos que estão presentes entre nós, nos fazendo esquecer da beleza e glória que a graça de Deus começou a operar e que um dia chegará ao seu ápice e fim (Fp 1.6). A igreja continua sendo linda. A noiva de Cristo continua precisando ser purificada pela Palavra de Deus. Estamos todos no mesmo barco.

 

3. Creia que temos um Adversário, que anda ao nosso derredor (1Pe 5.8)

Assim como em Star Wars o Lorde Sith não precisava obrigar suas presas para que viessem para seu lado, mas somente instigava as trevas dentro delas, também Satanás, ardilosamente, se aproveita de nossos medos egoístas e amarguras para nos tentar e convencer de que as promessas de Deus não são assim tão boas (o velho truque do Éden). Cuidado!

4. Creia que as Trevas dentro de você só podem ser vencidas com uma Luz externa a você

Luke tenta fazer com que Darth Vader reencontre a bondade que existe dentro dele, para que assim pudesse vencer o lado negro da Força. Na vida cristã isso é diferente. Afinal, nossa natureza está corrompida até os dentes (Ef 2.1-3). Precisamos de uma ajuda superior e externa a nós. Precisamos do poder que encontramos somente na cruz de Cristo, aquele que venceu o poder das trevas.
A luta contra as trevas em nosso interior não é vencida pelo tempo, mas pela Luz de Cristo.

 

5. Creia que se seu amor por seu conforto for maior que seu amor por Deus e as pessoas, você irá desistir de viver pela verdade

Leia 2 Coríntios 4 e 5. Você verá que uma das razões que fazia com que o apóstolo Paulo perseverasse com alegria em seu ministério era o profundo amor pela glória de Deus e pelas pessoas, fruto da consciência da salvação que ele graciosamente recebeu por meio de Cristo (2Co 5.14,15).

Amar exige sacrifício e exposição à possibilidade de ser ferido e decepcionado. Então, se nosso amor pela glória de Deus e pelas pessoas não for maior que o amor que temos por nós mesmos, jamais perseveraremos.

 

Que o Senhor tenha misericórdia de nós e nos conceda a Sua graça, para vencermos o mal presente em nosso coração e as armadilhas de Satanás. Que na Palavra de Deus encontremos o refrigério que nossa alma ferida precisa, para prosseguir com força e alegria, anunciando aquele que um dia sofreu por nós e nos amou até o fim.

Que a luz de Cristo resplandeça em meio as trevas!

Yuri Araújo Alves

Um comentário em “Star Wars: O lado negro da força

  1. Excelente paralelo entre o filme e a verdade do mundo espiritual.
    Este é uma boa contextualização para jovens e fãs da série.
    Que Deus continue abençoando suas mentes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *